terça-feira, 18 de abril de 2017






"Sei que aí dentro ainda mora um pedacinho de mim, 

um grande amor não se acaba assim feito espumas ao vento... 

Não é coisa de momento, raiva passageira, mania que dá 

e passa feito brincadeira, o amor deixa marcas que não dá pra apagar!

Sei que errei e tô aqui pra te pedir perdão!
Cabeça doida, coração na mão, desejo pegando fogo.
Sem saber direito aonde ir e o que fazer, eu não encontro 

uma palavra só pra te dizer, mas se eu fosse você, amor, 

eu voltava pra mim de novo!


E de uma coisa fique certa amor, a porta vai estar sempre aberta 

amor e o meu olhar vai dar uma festa amor a hora que você chegar!"


Espumas ao vento - Fagner

Nenhum comentário:

Postar um comentário