quarta-feira, 18 de setembro de 2013



"Que esses pares sejam pares e se façam companhia. 
Que se amem e que se entendam como uma linda melodia. 
Que essa dança, eterna dança seja feita por mãos, cintura, gravata e vestido 
e não por coletes. Que sejam livres. 
Que o mundo gire em sua órbita natural e que de natural seja composta a vida. 
De filhos, de bolos, de noivas e de janelas com flores. 

Que seja assim, simples como o amanhecer, simples como deve ser. 

E que tudo não passe de doença, cabeça vazia, coisa de quem não sabe nada
de alquimia ou desse feitiço já escrito para Adão e Eva antes mesmo que se inventasse 
o raiar dos dias. Que as dores fiquem nas caixas, que os sonhos sejam guardados 
nas caixas e que, empilhadas, elas possam prender portas onde sonhos são apenas 
sonhos e a realidade nem por perto consiga passar. 

Que não haja lados, que não haja opções. 

Que o certo seja certo e o errado UM GRANDE E FANTASIOSO ERRO. 
As histórias contam o que devemos levar para os nossos dias. 
Não é errado acreditar no 'felizes para sempre', errado é acreditar no 'Era uma vez..."